relacionamento entre assessor de imprensa e o assessorado é pautado por critérios diversos, principalmente de entendimento entre as partes sobre as reais necessidades, formas de atuação e ações comunicativas que possam ser de resultado satisfatório à organização. Isso não é definido através de regras ou manuais. Essa percepção parte do cliente, em saber aonde quer chegar, e do profissional de comunicação, em saber os caminhos de como se comunicar para alcançar estes objetivos almejados pelo cliente.

Desse modo, para que a parceria seja efetiva nas metas propostas, podemos dar três sinônimos à palavra relacionamento: contato, convivência e união. No mundo das assessoriasde imprensa, o relacionamento é peça fundamental nessa engrenagem. O assessor precisa deste princípio básico para manter seus contatos. Até aí tudo bem, parece dizer o óbvio. Porém, o que mais é visto e cobrado neste meio é o relacionamento do assessor com o jornalista que está na redação. Quanto mais contatos, convívio e “união” o assessor tiver com a imprensa, mais ele assume o papel de *toppriority, tanto para a agência em que atua, quanto para o seu assessorado.

No entanto, por não existir uma regra de que sempre serão divulgados na imprensa os conteúdos estabelecidos entre o assessor e o assessorado, toda relação tende a sofrer possíveis ruídos nesse constante trajeto de acertos e erros.  As chamadas “resistências internas”, que são barreiras impostas pelo cliente ao comunicador, advêm de uma série de preceitos na sociedade, de que a comunicação é um trabalho possível de se realizar por qualquer pessoa.

A partir do momento em que determinado assunto não foi inserido como o cliente achava que deveria, todo um planejamento pode ser colocado em dúvida. Dentro deste quesito, é inerente ao profissional da comunicação educar seu cliente de forma assertiva, responsável e didática sobre os processos de construção da comunicação. Credibilidade é algo adquirido por meio de muito trabalho e qualidade na prestação do serviço, e educar sobre sua própria atuação faz parte de todo este processo.

É primordial que, em um primeiro momento, seja feita uma reunião com foco no esclarecimento do trabalho prestado pela assessoria de imprensa. O assessor deve ouvir e identificar as reais necessidades do cliente, para que então consigam alinhar o planejamento do que será feito a curto, médio e longo prazo.

Não é um mistério, na teoria tudo funciona perfeitamente. Cabe ao assessor conseguir levar isso na prática e entender que quando há um bom contato, um bom convívio, então haverá um bom relacionamento com seu assessorado. Assim, o trabalho terá tudo para continuar obtendo o êxito e a parceria permanecerá por muito tempo.

*Top priority: alta prioridade

Por Pumaira Coronel

Deixe um comentário

dezessete − três =