Por Niágara Braga

Qual marca nunca sonhou em viralizar nas redes sociais e receber milhões de comentários, curtidas e muito engajamento de forma gratuita?

Pois é! Esse é um sonho de muitos, mas alcançado por poucos. A viralização depende de muita estratégia, timming e (sim) sorte.

A estratégia precisa estar ligada nos temas que estão “bombando” na internet e quais destes sua marca tem interesse em se posicionar. Também precisa escolher o melhor tipo e formato de conteúdo e  quais hashtags vai utilizar (isso é muito importante).

O timming também é essencial, pois se você decide lançar uma campanha que não tem nada a ver com os assuntos que estão “bombando” nas redes sociais, certamente, seu conteúdo vai “flopar”, ou seja, não terá grande engajamento. O timming também precisa ficar atento aos melhores horários de postagem, avaliados pela sua métrica ou alguma fonte de referência.

Já a sorte é o que não podemos controlar. A internet é um grande mar de surpresas. Pode ser que você utilize todas as estratégias possíveis e seja bem ligado no timming, mas mesmo assim seu conteúdo não viralize e nem conquiste muito engajamento. Isso pode ocorrer por vários motivos, mas entre eles, pode ser pela entrega dos algoritmos das redes sociais. O Instagram, Facebook, Tik Tok, entre outros, mudam frequentemente seus algoritmos e métricas, muitas vezes não entregando os conteúdos devidamente. Assim, por mais que o seu conteúdo seja bom e “bem bolado”, corre o risco de “flopar”. Por isso, é tão difícil alcançar a tão sonhada viralização.

Mas por ser difícil não impede de tentar, não é?

E se você quiser investir nessa estratégia, nós indicamos 7 tipos de conteúdos com maior tendência a viralizar nas redes sociais. Confere abaixo.

É sempre bom lembrar também que a viralização é uma faca de dois gumes. Ela pode ser muito positiva, pois chama atenção para sua marca, produto ou projeto. Porém, é também preciso tomar muito cuidado pois quanto mais em evidência sua marca estiver, o menor descuido ou erro, pode ser fatal para sua imagem.

É preciso também tomar cuidado para que seu perfil não fique um “depósito de memes”, apenas com conteúdos apelativos e “caçadores de virais”, pois isso também acaba enfraquecendo a identidade de sua marca.

Qualquer tipo de conteúdo que vá ser associado à sua marca, independentemente se for viral ou não, deve condizer com seus princípios e objetivos.

Esse post foi útil para você? Nos siga no Instagram @usinadenoticias para acompanhar mais conteúdos como esse e trocar ideia e energia conosco!

Deixe um comentário

2 × três =