Muito tem se discutido sobre as tendências da comunicação para os próximos anos, ressaltando o famoso marketing digital. Fica difícil definir um caminho exato para a indústria jornalística no meio digital diante de um mercado em transformações constantes, onde as novas tecnologias criaram uma ampliação do espaço da comunicação em que a todo momento se recebe milhares de informações e o que era futuro, já virou passado em um piscar de olhos. Mas uma coisa é certa: podemos dar adeus às mídias tradicionais e um bem-vindo ao conteúdo digital e mobile.

É preciso ter em mente que não estamos mais falando em números no momento de estudar o público-alvo. Ou seja, para atingir seu stakeholder da melhor forma é necessário analisar pessoa por pessoa, o foco é na paixão e nos valores de cada cliente, deixando a faixa etária e fatores demográficos ou geográficos em segundo plano. Ainda aconselho levar como lema que o diferencial das empresas hoje não deve ser o produto, mas sim as pessoas que o consomem. São elas que promovem a melhor estratégia de comunicação para sua marca.

De acordo com o estudo Digital News Report, do Instituto Reuters, há três tendênciasdominantes para o próximo ano: vídeos online, aplicativos móveis e maior potencial de distribuição de conteúdo. Ao divulgar o resultado da pesquisa, o jornalista e pesquisador Nic Newman destacou que haverá crescimento no uso de analytics e da interpretação de dados constante como orientação para as tomadas de decisões sobre tecnologia, marketing e conteúdos. Além das ações de SEO (confira aqui a matéria sobre SEO já postada no blog), que já são adotadas pela maioria das empresas. A análise também confirmou o que já estava previsto: 54% alegaram que o aprofundamento do engajamento dos usuários deve ser prioridade em 2016.

Como fazer isso? Aí destaco outro estudo sobre o tema realizado pelo Grupo RBSTV que pretende mostrar qual destino terão as novas e velhas formas de comunicar. Chamada de The Comunication Revolution, a pesquisa levanta 11 premissas que podem ser consideradas tendências na arte de comunicar. Traduzidas do inglês, são elas: seja verdadeiro; seja confiável; faça parte; pense plural; pense mobile; seja beta; pense no futuro; pense além; seja colaborativo; seja intuitivo; seja útil.

Então lembre-se: pessoas não se apaixonam por estratégias, elas se apaixonam por histórias. Comunicar o significado da marca a partir de histórias que ela mesma cria e que influencia no relacionamento direto com essas pessoas, além de estar presente em todos os meios que seu público se encontra, será vital para se manter em um mercado já saturado. Listo abaixo algumas das principais tendências do marketing digital que sua empresa deve seguir para não fazer feio neste ano:

• Conteúdo em vídeo domina mobile: só no Facebook já são mais de 8 bilhões de videoviews por dia na plataforma, 75% deles em dispositivos móveis. O Youtube não fica para trás, apesar da concorrência de novos players, são mais de 1 bilhão de usuários na rede.

• As queridinhas de 2016: YoutubeNetflixBuzzFeed e Snapchat. Não conhece algum deles? Fique atento, pois a presença nesses canais é fundamental se você quer se diferenciar da concorrência quando falamos em marketing de conteúdo.

• Sem espaço para novos: FacebookTwitter e Linkedin são os velhos que permanecem e entram em 2016 com mais força ainda. Os três ditam as leis do mercado.

• Live streaming como life style: aplicativos que permitem a transmissão de eventos ao vivo como o Meerkart e Periscope engajam o público cada vez mais. Ainda no fim do ano passado o Facebook anunciou que está testando liberar o Live para todos os usuários da plataforma que, até então, apenas figuras públicas e páginas certificadas tinham acesso ao recurso.

• Instagram, Periscope e Snapchat: olha aí o Snapchat sendo citado pela segunda vez, isso só comprova a importância da rede social no mercado do marketing digital. Além do Instagram e o Periscope. A regra da vez é estar nessas redes (mesmo!).

• Real time ocupa lugar do planejamento: as mídias devem ser abastecidas de acordo com o que acontece no dia, naquele momento, naquele segundo. Piscou os olhos e a notícia já é velha. Já diz o título do texto: o futuro já virou passado!

• Conteúdo visual é lei: gifs animados, marcadores, gráficos, mapas… São eles os protagonistas de qualquer texto, post, release e até das reportagens tradicionais.

• WhatsApp como fidelização do público: o aplicativo já virou moda nos negócios. Fideliza o público e permite uma aproximação e contato com o cliente. Mas fique atento para utilizar da forma correta, ele ainda é algo pessoal do consumidor.

• E-mkt hipersegmentado: aquele e-mkt que recebemos e automaticamente clicamos no ícone da lixeira pode – e deve – ser diferente. Aposte na hipersegmentação se você quer continuar usando essa ferramenta.

😉

Ufa… Acabou. Agora é a hora de aproveitar as dicas e se recolocar nesse mercado apaixonante que é o marketing digital. Não esqueça que o  comportamento e o modo de viver do seu cliente também deve ser o seu. Esteja onde ele estiver 

Por Rafaela Johann 

Deixe um comentário

sete − três =