Calma! A Assessoria de Imprensa não acabou!

Mas ela também não é mais a mesma de vinte, dez, cinco, dois, um ano atrás. E ela também não vai ser a mesma daqui a um ano ou talvez meses.

E isso não é um “privilégio” só da Assessoria de Imprensa. Essa mudança constante e cada vez mais acelerada é um cenário comum vivido pelas empresas, serviços e produtos, não só da área da comunicação, mas de todos os nichos que são impactados pela Revolução Digital.

Entenda abaixo o que mudou na Assessoria de Imprensa e o que esses tais de Stakeholders têm a ver com isso.

Começando pelo começo: Você realmente sabe o que tradicionalmente é conhecido por Assessoria de Imprensa? (Se você já souber, pule para o próximo item)

Vamos recapitular o que pré-históricamente tradicionalmente é considerado Assessoria de Imprensa. Os estudantes de Jornalismo e Comunicação Social, em geral, ainda aprendem que Assessoria de Imprensa é um serviço de comunicação corporativa, que tem o objetivo de divulgar e/ou preservar a imagem do cliente junto aos veículos de mídia. [Nem vamos entrar no mérito de que o termo “imprensa” originalmente se remetia apenas a jornais impressos, mas vamos considerar veículos midiáticos em geral (jornais impressos, rádio, tv, revistas e sites).] Dessa forma, as principais e mais tradicionais atividades do assessor de imprensa consistem em:

Produção de press-releases: são textos que resumem um produto, serviço ou evento, direcionados à imprensa com o objetivo de transformar o assunto em uma pauta jornalística.

•  Realização de follow-up: é quando o assessor entra em contato com os jornalistas para “vender” a sugestão de pauta;

Clipping: consistem em acompanhar o que está sendo falado sobre o cliente ou sobre assuntos correlatos ao cliente na mídia.

Agora sim, o que mudou na Assessoria de Imprensa?

As principais mudanças no serviço de Assessoria de Imprensa, realizado atualmente, decorrem em sua maior parte pela facilidade do acesso à informação proporcionado pela Internet. Agora, além dos jornais, revistas, emissoras de rádio e TV, também temos os sites, portais, blogs e, principalmente, as redes sociais como veículos de comunicação. E isso muda totalmente a forma de atuação do assessor de imprensa.

Não é que o assessor de imprensa deixou de enviar press-releases, fazer follow-up ou clipping, mas sim, precisou mudar a forma de realizar essas atividades. Se antes o assessor de imprensa normalmente  realizava o seguinte fluxo de trabalho: envio de press-release por e-mail > follow-up com o veículo por telefone > clipping do material nos veículos trabalhados, agora ele precisa também incorporar outros elementos a essa rotina de trabalho, a exemplo das redes sociais.

Assim, cada dia mais o press-release dá espaço às conversas pelo WhatsApp ou pelo Direct do Instagram, o follow-up cede lugar a parcerias entre empresas e influenciadores digitais e o clipping passa a incorporar também – e principalmente – o monitoramento das redes sociais.

Com essas mudanças, o relacionamento do assessor com a imprensa e mídia em geral se tornou muito mais abrangente. É aí que entram os Stakeholders!

Finalmente, o que são esses tais de Stakeholders? E por que eu preciso saber disso?

Em inglês stake significa interesse, participação, risco, e holder significa aquele que possui. Assim, stakeholder também significa parte interessada ou interveniente. É uma palavra muito utilizada nas áreas de comunicação, administração e tecnologia da informação cujo objetivo é designar as pessoas e grupos mais importantes para um planejamento estratégico ou plano de negócios, ou seja, as partes interessadas.

Então, resumindo, nos primórdios, a assessoria de imprensa se restringia ao relacionamento com jornalistas, editores e produtores. Com as mudanças proporcionadas pelas mídias digitais, outras pessoas e grupos de interesse também precisaram entrar no escopo do assessor de imprensa – que agora passa a ser chamado de assessor de comunicação.

Dessa forma, os stakeholders são todas as pessoas que têm o poder de comunicar e influenciar e possam ter interesse na sua marca – hoje, além dos jornalistas, temos os blogueiros, youtubers, influenciadores digitais.

E por que você precisa saber disso? Se você chegou até o final desse texto, acredito que você já tenha entendido o porquê. Simplesmente, porque os stakeholders são as pessoas que irão divulgar a sua marca, produto ou serviço para o seu público-alvo de forma gratuita e com credibilidade. Se até hoje você não sabia da importância dessa “ferramenta” estratégia para seu negócio ou projeto, de agora em diante, sugiro que passe a considerar como uma parte essencial em seu planejamento!

Entendi a importância dos stakeholders, mas não sei por onde começar! O que eu faço?!

Calma! Se você chegou até aqui, já deu um grande passo! Agora já sabe a importância e o valor que os stakeholders podem ter para o seu negócio. Agora, é colocar a mão na massa! E caso queira mais uma mãozinha, aqui na Usina de Notícias temos várias! E muito experientes!

Com 16 anos atuando na tradicional Assessoria de Imprensa, unimos essa bagagem com a constante busca pelas novas necessidades de comunicação, a fim de entregar o melhor resultado para nossos clientes. Fazemos o planejamento estratégico de comunicação com os seus stakeholders – desde a identificação deste público, execução e entrega de resultados.

Se ficou interessado em saber mais sobre o nosso trabalho, entra em contato conosco! Vamos adorar compartilhar a nossa energia com você e seu negócio!

Deixe um comentário

três × quatro =