Por Niágara Braga, Jornalista e estudante de Psicologia.

Primeiramente, vamos esclarecer brevemente o que é Assessoria de Imprensa. Sabemos o que ela não é: publicidade.

A Assessoria de Imprensa é, ao mesmo tempo, uma forma de divulgação de uma marca e uma parceria através da sugestão de conteúdos para os veículos.

O Assessor de Imprensa possui dois compromissos principais:

  • Ajudar a divulgar a marca do seu cliente de forma espontânea na mídia;
  • Oferecer conteúdos relevantes e coerentes aos veículos, auxiliando os jornalistas com sugestões de pauta que condizem com seus interesses.

Ou seja, Assessoria de Imprensa não é apenas divulgar sua marca, ela exige uma estratégia muito bem elaborada de conteúdo e conhecimento dos espaços de mídia, para que possa encaixar o objetivo do cliente com os interesses do jornalista ou do veículo.

Mas quais estratégias utilizar? Que tipo de conteúdo? Qual o formato do texto? Quais espaços procurar? Essas são perguntas que atormentam qualquer assessor de imprensa, e muitas delas só serão respondidas com a experiência pessoal de cada um.

Porém, existem alguns tipos de conteúdos que são “coringas” e, geralmente, emplacam com mais facilidade na mídia – desde que tenham relevância pública, como já mencionamos anteriormente.  E nós vamos compartilhar com você, se liga!

Artigo de Opinião: É um texto breve (a quantidade de caracteres varia de acordo com o veículo) que expressa a opinião pessoal de alguém em relação a algum assunto. Para que o artigo tenha relevância e interesse do veículo, é importante abordar assuntos que estejam sendo debatidos na mídia ou que tenha um gancho em alguma data comemorativa. Também é importante que o artigo seja assinado por alguém que tenha certa “autoridade” sobre o assunto que está sendo abordado. Por exemplo: artigo sobre saúde mental na pandemia, ser assinado por uma Psicóloga.

Artigo assinado pelo Diretor Regional do Sesc-RS e Senac-RS divulgado no jornal Zero Hora, de Porto Alegre – RS.

Agenda: Jornais impressos, blogs, sites, programas de TV e rádio geralmente possuem um espaço destinado a agenda de eventos, sendo eles de cunho cultural, empresarial, educacional, etc. A divulgação de eventos pode sempre render algum espaço de divulgação. Neste caso, o que vai fazer com que seu conteúdo emplaque será a relevância do evento e também a combinação do espaço de mídia. Por exemplo, se o seu cliente irá realizar um evento de educação, você precisa encontrar espaços (programas, colunas, blogs) que abordem essa temática. Não adianta querer “vender” uma nota de cultura para um espaço que só divulga economia, por exemplo.

Nota sobre festa promovida pela Associação Leopoldina Juvenil na coluna de clubes do Correio do Povo, de Porto Alegre – RS.

Serviço: Notas ou pautas sobre serviços são sempre bem recebidas também, quando de interesse público. Chamamos de serviço as pautas que têm o objetivo de informar algo que seja bem relevante para a sociedade. Por exemplo, esclarecer sobre o funcionamento dos golpes nas redes sociais e orientação de como se proteger deles é um serviço de interesse público. O que vai fazer com que sua pauta de serviço emplaque na mídia é a relevância de seu conteúdo e a atualidade dele. Por exemplo, produzir uma pauta sobre como utilizar a máscara descartável um ano após o início da pandemia é algo desatualizado.

Pauta sobre como ajudar alguém em situação de abuso no jornal Folha de Cachoeirinha, em Cachoeirinha – RS.

Notícia: A notícia, que pode elaborada em formato de release (texto mais longo e completo) ou nota (texto de 1 parágrafo e bem resumido), seria uma novidade que seu cliente quer contar e que tenha interesse público. Dentro disso podemos incluir os mais diversos assuntos: a inauguração de uma nova sede, o lançamento de cursos, uma nova parceria, a expansão da marca, novos serviços, etc. Nesse caso, o que mais vai influenciar com que sua notícia emplaque na mídia será a relevância pública e o espaço ao qual você está direcionando seu conteúdo. Por exemplo, falar sobre o lançamento de uma nova modalidade de vinho pode ser muito interessante para espaços de gastronomia, mas não para editoria de Política.

Notícia sobre a inauguração da nova sede e expansão do negócio da marca Brookies no GeraçãoE, caderno de empreendedorismo do Jornal do Comércio, de Porto Alegre – RS.

Comentário técnico: Neste caso, alguém com conhecimentos técnicos comenta sobre algum assunto em específico que esteja sendo abordado na mídia. Por exemplo, está ocorrendo um debate sobre a nova variante do covid-19 e você produz uma pauta com um biomédico explicando o que é uma variante e como pode se comportar o vírus. Assim como nos outros tipos de conteúdo, a atualidade e a relevância pública são muito importantes para que sua pauta emplaque na mídia.

Presidente do Sinplast-RS comenta sobre a alta no preço do plástico em entrevista ao Jornal do Comércio, de Porto Alegre – RS.

Pauta com case em datas comemorativas – Para finalizar, este é um tipo de conteúdo “super coringa”! Aproveitar as datas comemorativas para gerar pauta é sempre uma boa estratégia. Porém, elaborar pautas com cases fortes é uma jogada excelente, principalmente quando falamos de TV, que sempre precisam ilustrar suas matérias. Por exemplo, digamos que seu cliente seja uma instituição de ensino, no Dia das Mães você pode conseguir um “case” de uma mãe e filha que estudam juntas e fazer uma pauta sobre a importância do estudo e o incentivo mútuo. Geralmente, a pauta não terá o foco no seu cliente, mas conforme a elaboração estratégica da assessoria, a marca pode ser divulgada em plano de fundo ou com inserção de fonte técnica.

Pauta, com o gancho do Dia das Mães, sobre os cuidados com a saúde mental das mamães durante a pandemia, divulgada no jornal O Estado, de Fortaleza – CE.

Se você quiser entender mais sobre Assessoria de Imprensa, confira outros posts de nosso blog:

Para mais conteúdos, nos acompanhe também no Instagram @usinadenoticias!

Deixe um comentário

5 − 3 =