Por Rafaela Trajano

Com o isolamento social, o mundo digital virou o refúgio e uma das únicas maneiras de trocarmos experiências e informações. Shows, aulas, cursos e treinos se uniram em apenas um canal de disseminação de conteúdo: as lives. Se antes a ferramenta era usada em casos pontuais e específicos, agora a transmissão tornou-se extremamente ativa e muitas vezes necessária.

O “boom” do conteúdo ao vivo se espalhou, principalmente com a ajuda da música. Afinal, inúmeros artistas realizaram shows online e beneficentes a fim de arrecadarem fundos para o combate à disseminação da Covid-19. Foi o caso do festival “One World: Together at Home”, que reuniu artistas internacionais como Paul McCartney, Lady Gaga e Beyoncé. No Brasil, o destaque vai para a música sertaneja: Marília Mendonça e a dupla Jorge e Mateus reuniram mais de 3 milhões de pessoas simultâneas no Youtube.

Apesar disso, nem só de entretenimento vive a internet! Devido ao fechamento dos comércios e a baixa circulação de pessoas, inúmeras empresas estão aproveitando plataformas como o Youtube e o Instagram para venderem seus produtos e serviços, compartilharem conhecimento e divulgarem suas ideias.

Se você ainda não aproveitou a onda das lives, nós vamos te explicar porque elas podem ser uma boa pedida:

Ivete fez sua primeira live de pijama, na sala de casa, e conquistou mais de 300 mil visualizações

Interatividade e engajamento

As lives voltadas para negócios geralmente são feitas por uma ou mais pessoas que dialogam ou explicam um tema específico. Isso, portanto, aproxima o público ainda mais, visto que por vídeo é possível enxergar quem está por trás do pensamento ou assunto abordado. Por ser ao vivo, comentários, feedbacks e perguntas também ficam disponíveis, o que estreita ainda mais o laço com o consumidor ou cliente final.

Conteúdo único

Apesar de ser possível salvarmos as lives em algumas plataformas, o ao vivo traz a ideia de exclusividade. Ou seja, apenas quem está online naquele horário terá acesso ao conteúdo disponibilizado. Isso pode fidelizar o seu público para transmissões futuras e demais conteúdos que virão a ser disseminados.

Facilidade de produção

O custo para a realização de uma live é baixo ou zero, isso porque você pode fazer do seu próprio celular ou computador. Atualmente, com o isolamento social, as transmissões caseiras são, inclusive, as mais destacadas pela audiência, pois além de repassarem informações importantes, relembram a necessidade de ficarmos em casa.

Inúmeras plataformas

A internet reúne uma série de redes sociais e plataformas diversas para as realizações de uma live. As mais conhecidas são o Instagram, o Youtube e o Facebook, mas você também pode optar por uma transmissão fechada, somente para um público selecionado. Para isso, o Zoom e o Jitsi são os mais indicados.

Agora que você já sabe o impacto das lives na prática, corre para o nosso Instagram @usinadenoticias para saber, em números, a dimensão de tudo isso!

Além de bater 1 milhão de visualizações, a live da Ludi repercutiu muito nas redes, por causa de sua queda no meio da transmissão

Deixe um comentário

4 × 5 =