Por Bianca Zilio Scottá

Você pode até não saber de onde você conhece essa pessoa da imagem acima, mas sabe que conhece de algum lugar. Certo? Essa memória que fica marcada em nossa mente, e nos influencia consciente e inconscientemente, é decorrência do que no marketing se chama de persona. Mas o que é isso? Calma, que a gente explica!

Um dos principais pilares do mundo dos negócios é o relacionamento com o cliente. Para obter engajamento em seu empreendimento, é necessário conhecer mais a fundo quem está consumindo seus conteúdos e produtos, e quem pode ser um cliente em potencial. Para que suas estratégias de marketing apresentem bons resultados, é preciso direcionar os seus esforços para as pessoas certas. 

Mas não se engane! Muitas vezes você não conseguirá atingir seus clientes apenas levando em consideração o seu público-alvo, pois ele costuma ser muito amplo. Uma solução criativa para isso é a criação de personas

Existem dois tipos de personas a buyer persona e a brand personaA primeira representa um cliente padrão, que irá servir de base para definir as estratégias de comunicação do seu negócio. Enquanto a segunda representa a sua marca e a forma como você deseja ser visto por seus clientes.

A buyer persona é mais humanizada. Além de um perfil demográfico e socioeconômico, a buyer persona tem definido gostos pessoais, dados familiares, hábitos, necessidades, profissões, dificuldades, preferências de consumo e afins. 

Sua buyer persona pode ser, por exemplo, a Lorena, brasileira, mulher de 24 anos, classe média e que reside em Porto Alegre. Formada em gastronomia, trabalha em um restaurante local quatro estrelas, mas sonha em abrir o próprio negócio. Gosta de decoração e de presentear os amigos. Por ser de classe média, não compra produtos muito caros, mas prefere investir mais dinheiro quando o material tem maior qualidade. Geralmente utiliza o Twitter para se atualizar e o Instagram para se divertir e acompanhar o mundo da moda, que ela gosta muito. É divertida e está sempre rodeada de pessoas. 

A Lorena, claro, é uma pessoa imaginária, criada baseada no perfil que se encaixa ao público que você quer que se identifique com sua marca, com seus produtos. Desse modo, você consegue atingir as pessoas de uma maneira muito mais efetiva, além de conhecer as reais necessidades dos seus consumidores e de clientes em potencial

Mas cuidado! O aconselhável é, no máximo, quatro buyers personas, para que você consiga direcionar seu conteúdo/produto de maneira mais certeira. Nesse quesito, é melhor menos, do que pecar pelo excesso e se perder nas estratégias.

Já, a brand persona, como dissemos, não foca no cliente, tem sua base na marca. Sim! Ela é a “cara” da sua empresa, representa seus valores e mostra exatamente como você quer que as pessoas enxerguem seu negócio. É a personalidade da marca e como ela vai se comunicar com o mercado. Faça com que clientes em potencial queiram conhecer sua marca, se tornem fiéis e realizem indicações. RELACIONAMENTOS! Quer ver?

A Lu do Magazine Luiza: sempre disposta a te ajudar e te indicar promoções.

A Netflix: divertidíssima nas redes sociais, sempre respondendo todas as dúvidas e comentários dos clientes.

O Pinguim do Ponto Frio: o Pin é um amigo, jovem, sempre disposto a resolver problemas e se aproximar de pessoas.

Disney: uma empresa divertida, segura e familiar.

Viu? Você conhecia todas essas brands personas e é desse modo que essas marcas são lembradas.


Por último, mas não menos importante! Lembre-se: estratégias de marketing podem ser muito assertivas, mas também podem apresentar falhas quando não são planejadas ou executadas da maneira correta. Por isso, e n t e n d a suas personas.

Qual a brand persona que você mais se identifica? Conta para a gente lá no nosso instagram @usinadenoticias!

Deixe um comentário

cinco × dois =