Por Niágara Braga, estudante de Psicologia e jornalista

Quem nunca sentiu ansiedade por conta do excesso de trabalho ou pela pressão interna e externa do cumprimento de demandas?

Hoje nós vamos compartilhar com você algumas dicas que podem ajudar a amenizar a ansiedade no trabalho para conseguir resolver as demandas da melhor forma possível e, o que é muito importante, com saúde mental.

  • Respire – Exercícios de respiração são o primeiro passo para acalmar a mente e são muito utilizados nas terapias cognitivo-comportamentais. Não adianta você tentar resolver todas as coisas se não consegue se concentrar em nenhuma delas. Existem técnicas que podem ser feitas em até 5 minutos! Quando estiver muito ansioso, se permita só parar e respirar profundamente algumas vezes, sentir sua respiração. Conheça algumas técnicas indicada por profissional aqui.
  • Organize suas tarefas – Se você tem um grande volume de demandas, você precisa organiza-las por prioridade, por data de entrega, por demora na execução, etc. Quanto menos controle você tiver sobre sua agenda, maior será a ansiedade. Quando não conhecemos ao certo algo, criamos uma fantasia sobre aquilo, que pode ser boa ou ruim. Neste caso, podemos criar a fantasia de que o volume de trabalho é muito maior do que realmente seria, caso tivéssemos organizado e nos apropriado das demandas. Ou, mesmo organizadas as demandas, o volume pode sim ser imenso… E aí, nós vamos para a próxima dica.
  • Respeite seu limite – Após avaliar o volume real de trabalho e saber o tempo necessário para cumprir as tarefas, é preciso avaliar o tempo que você dispõe para realiza-las. Porque, não, nem sempre você terá tempo suficiente para fazer tudo! E está tudo bem! Afinal, você não é uma máquina. Você pode e deve dar o seu melhor, mas precisa respeitar o seu limite. Não é sobre negligenciar ou procrastinar, é sobre dar o seu melhor, mas saber se respeitar. Então, considerando o seu tempo, elenque as tarefas por prioridade e organize sua agenda.  Não adianta colocar na sua pauta coisas que você sabe que não vai conseguir fazer naquele dia, porque isso só vai gerar ainda mais ansiedade. Seja honesto com você, dê o seu melhor, mas respeite seu limite.
  • Faça uma coisa de cada vez – Sim, você pode ter uma profissão multitarefa, mas só tem duas mãos e uma capacidade limitada de atenção. O excesso de estímulos é um fator ansiogênico muito comum hoje em dia, frente às tecnologias e à necessidade de agilidade em tudo. Porém, nós temos sim uma capacidade limitada de atenção e concentração e quando tentamos fazer muitas coisas ao mesmo tempo duas coisas acontecem: não fazemos nada – ou quase nada – bem feito e ficamos sob alto nível de ansiedade e estresse. Então, novamente, respeite seu tempo e seu limite! Procure fazer uma coisa de cada vez. Termine uma tarefa antes de começar outra e busque não olhar as redes sociais ou mensagens no whatsapp durante suas tarefas. Se for necessário o contato com essas redes sociais no período de trabalho –  e se isso, inclusive, fizer parte das suas demandas, você deve reservar um tempo específico para tal atividade. Encare isso como um exercício! Se você é muito ansioso será difícil no começo, mas aos poucos você vai conseguindo e perceberá que dar o tempo de cada coisa também vai te ajudar a ficar mais tranquilo.

Ansiedade é coisa séria, não menospreze sua dor

O Brasil é o país com maior taxa de pessoas com transtorno de ansiedade do mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (2019). Cerca de 18,6 milhões de brasileiros sofrem com a doença. Ou seja, existe 9,3% de chance de você que está lendo essa postagem seja uma pessoa diagnosticada com esse transtorno.

Porém, sabemos que os casos que chegam a serem contabilizados não representam a totalidade, porque muitas pessoas ainda não buscam ajuda, não têm acesso, ignoram sua própria situação ou naturalizam o sofrimento.

Ainda existe um preconceito social em relação aos transtornos mentais, um menosprezo e uma desqualificação. Isso acaba induzindo algumas pessoas que sofrem com isso, entenderem que sua dor não tem valor, que elas não têm direito de sentir o que sentem e que, muito menos podem pedir ajuda para isso.

O sofrimento mental mata! Ainda segundo a OMS, o Brasil é o quinto país com maior índice de depressão do mundo. Isso não é brincadeira, não é invenção.

Ansiedade é coisa séria. Não menospreze sua dor. Não naturalize seu sofrimento.

Atualmente, temos diversos serviços de assistência mental disponíveis para a população. Temos opções privadas a baixo custo e também auxílio na rede pública, através do Centro de Atenção Psicossocial. Por isso, se você estiver em sofrimento, busque a opção mais acessível a você!

Nesta postagem não quisemos, de forma nenhuma indicar técnicas terapêuticas, apenas compartilhar práticas com base em nossa vivência pessoal. Se estiver em sofrimento, busque um profissional.

E aí, gostou de nossas dicas? Para mais conteúdos, siga-nos no Instagram @usinadenoticias.

Deixe um comentário

um × quatro =